SOUTH BEND, Indiana. – Pelham Golden não deu muita importância, jantando com seu filho depois de outro treino de primavera na Berkeley Prep. Dallas Golden já completou três anos desse trabalho, transferindo-se de uma das melhores escolas particulares da Flórida, localizada a oeste de Tampa. Foi apenas mais uma festa depois de mais um treino. Até que o defensor de quatro estrelas disse que estava disposto a se comprometer… em algum lugar.

E esse não era o plano.

Golden tinha quatro visitas oficiais planejadas: Notre Dame, Georgia, Clemson e Florida State. Ele tinha visto a maior parte dos Seminoles, registrando talvez oito viagens a Tallahassee. Ele tinha visto os outros três pelo menos duas vezes, confirmando que esses funcionários eram mais do que apresentações.

Golden decidiu que não precisava de uma terceira, quarta ou nona opinião. Não havia razão para esperar até julho.

“Ele apenas disse casualmente que queria se comprometer, e eu disse: ‘Onde é isso?’” Pelham disse: “Ele disse Notre Dame, e eu disse a ele: ‘Bem, Dallas, não há nada como você. pensar você deseja exportar. Ou você faz ou não.”

Boletim informativo de pulso

Atualizações esportivas diárias gratuitas diretamente na sua caixa de entrada. Inscrever-se

Atualizações esportivas diárias gratuitas diretamente na sua caixa de entrada. Inscrever-se

comprarCompre o boletim informativo Pulse

O pai disse ao filho para dormir sobre ele, embora o filho dissesse que não era necessário. No entanto, Golden o fez. E quando Pelham ligou do trabalho para casa na manhã seguinte para falar com Dallas, ele verificou se havia sentimento em relação a Notre Dame. Tinha E então Golden chegou à parte divertida, ligando para o técnico do Notre Dame, Chad Bowden, antes de contar ao técnico Marcus Freeman e ao técnico de defesa Mike Mickens.

Quando Golden contou a todos, alguns dias depois, no domingo, 28 de abril, a perspectiva unânime de quatro estrelas foi celebrada com entusiasmo semelhante quando ele contou a seu pai sobre sua decisão. Cachinhos Dourados deixou de ir jantar para comemorar a ocasião. De qualquer forma, já estava planejada uma festa de aniversário em família para outra pessoa. Ele só queria ficar quieto.

“Cara, quando tivermos uma festa de formatura, será como arregaçar as mangas”, disse Pelham. “Ele é um garoto normal de 17 anos, quer conhecer a namorada e discutir com o pai sobre tudo.”

Mas há algo especial sobre o jogador de 1,80 metro e 176 libras, cuja lista de ofertas parece um campo de playoff de futebol universitário. Ele recebeu sua primeira oferta importante como calouro na Berkeley Prep, vindo do estado da Flórida. Notre Dame mostrou o quanto trabalhou para conquistar a medalha de ouro, dizendo que mantém contato com alguém irlandês quase todos os dias. Ele é atualmente o segundo colocado na classe Notre Dame pela 247Sports, o terceiro colocado pela On3 e o sexto colocado pela Rivals.

Combinado com a experiência de Golden na Berkeley Prep, onde se matriculou na oitava série, o cornerback estava tão perto de uma obrigação quanto Notre Dame esteve nesta temporada. Poucos defensores são classificados nacionalmente. E quase nenhum deles se projeta para Notre Dame fora do futebol como Golden. O fato de Golden ser um garoto da Flórida que queria uma pequena escola católica com bons acadêmicos no Ocidente fazia dele uma raça rara.

O trabalho que Notre Dame colocou no processo é exatamente o motivo pelo qual Golden se comprometeu há dois meses. Ele fez três visitas a South Bend: o jogo da primavera há um ano, o jogo da USC na temporada passada e o dia dos juniores durante uma nevasca este ano. Ele se conectou com o All-American Benjamin Morrison em visitas e conheceu o quarterback Days Knight.

“Eles definitivamente me recrutaram com mais esforço”, disse Golden. “Os relacionamentos lá, não os tive com nenhuma outra escola.”

O que chamou a atenção de Golden nessas viagens foi o que separou o Notre Dame de outros programas por ser tão diferente. Notre Dame mal falava sobre o NIL, que outras escolas às vezes conduziam em visitas. A Irlanda mal falou sobre isso futebol até a terceira chegada de Golden, que impressionou seus pais.

“Berkeley e Notre Dame são basicamente iguais, apenas pessoas diferentes”, disse Golden. “Foi fácil se apaixonar por Notre Dame.”

Golden entendeu melhor o programa do que a maioria por meio do defensor externo Tre Reader e de seu irmão mais novo, Troy, um calouro do time de beisebol irlandês. Ambos se formaram na Berkeley Prep e seu pai, Nick, é próximo da família Golden. A conexão para a pontuação de ouro de Notre Dame foi uma decepção, porque se havia algo para impedir a defesa, os leitores compartilharam.

“Com o tempo, tive um pressentimento”, disse Golden.

Deeper

VÁ MAIS FUNDO

Notre Dame se compromete com o 4 estrelas Dallas Golden

Golden se junta a uma classe de recrutamento classificada em primeiro lugar pela 247Sports and Rivals, enquanto On3 classifica os irlandeses em quinto lugar. Os irlandeses estão em uma posição forte para contratar o cornerback de quatro estrelas Mark Zachery no dia 25 de maio, quando ele anunciar seu compromisso entre os finalistas. Notre Dame, Michigan, Flórida e Cincinnati. Se os irlandeses contratassem Zachery, os três melhores candidatos da classe seriam todos defensores, todos classificados entre os 100 primeiros, com o safety Ivan Taylor no topo, de acordo com a 247Sports.

De acordo com a 247Sports, Notre Dame contratou apenas um dos 100 melhores jogadores na ponta defensiva na década anterior: Kyle Hamilton.

Afinal, Golden fará apenas uma visita oficial, retornando a Notre Dame no fim de semana de 8 de junho junto com grande parte dessa turma de recrutamento. O momento da sua decisão pode ser surpreendente, mas o destino não. Golden disse que há meses se inclinava para Notre Dame antes de dizer essa parte difícil em voz alta.

“Quando criança, observei Notre Dame e aqueles chapéus dourados”, disse Golden. “Se não fosse pela Notre Dame, eu nem sei, porque realmente não estava perto.”

(Foto: John Santucci/USA Today)

Fonte