Garotinho criou um dueto com Apoliño que empolgou o público e divulgou uma homenagem ao amigo




Foto: Reprodução/Tupi – Legenda: A dupla dinâmica de Apoliño e Garotinho na transmissão da final da Libertadores 2019 / Jogada10

O apresentador de rádio de Washington Rodriguez, conhecido como Apoliño, morreu nesta quarta-feira (16) aos 87 anos. Durante sua carreira, o jornalista se apresentou no rádio e marcou gerações com seus comentários em diversas emissoras como o amigo de longa data Globo e Tupi, o narrador José Carlos Araujo, o Garotinho, se despediu do companheiro com uma mensagem social. Meios de comunicação.

“Meu querido amigo Apoliño, não há palavras para expressar o vazio deixado pela sua despedida. Você tem sido um grande parceiro na minha vida profissional, mas nossa amizade sempre ultrapassou os limites. A única coisa que posso fazer é um momento para agradeça pelos momentos inesquecíveis ao seu lado, obrigado, você é eterno na rádio e no coração de todos nós”, escreveu o veterano comunicador da Rádio Tupi.

Ambos trabalharam juntos por muitos anos no rádio em programas esportivos e mesas redondas. Além disso, também estiveram nos programas de televisão da CNT na década de 90, Apoliño se destacou com frases interessantes e junto com Garotino, Gilson Ricardo, Luis Penido, Gerson, Canhotinha de Ouro e outros.

Passe no Flamengo

Em 1995, o radialista, apaixonado pelo Flamengo, aceitou o convite do então presidente Kleber Leyte e assumiu o cargo de técnico do Rubro-Negro. No ano 100, o time teve o ataque dos seus sonhos com Sávio, Romário e Edmundo, mas o Brasil terminou na 21ª colocação. Três anos depois, ele voltou e assumiu a direção de futebol.

Por fim, cabe destacar que foi o locutor Celso Garcia quem lhe deu o apelido de Apoliño, em referência ao equipamento utilizado pelos astronautas na missão Apollo 11 à Lua, que se tornou a eterna marca registrada do radialista.

Siga Jogada10 nas redes sociais: Twitter, Instagram d Facebook.



Fonte