O comentarista esportivo morreu na manhã desta quinta-feira, aos 89 anos




Silvio Luiz, comentarista esportivo

Silvio Luiz, comentarista esportivo

Foto: reprodução/Instagram

Sílvio Luiz será realizada na manhã de sexta-feira, dia 17, às 9h Cemitério Getsêmani, no bairro Vila Sônia, em São Paulo, onde também será realizado o funeral, por volta das 14h. O locutor esportivo morreu nesta quinta-feira, dia 16, aos 89 anos, em decorrência de falência múltipla de órgãos.

O ícone do jornalismo esportivo foi internado pela primeira vez no dia 7 de abril, após passar mal durante a transmissão digital da final do Campeonato Paulista entre Palmeiras e Santos pela Record TV. Naquela época, tocou ao lado dos comediantes Bola e Carioca quando havia dificuldade para falar e sobreviveu.

Levado ao hospital, Silvio permaneceu internado até 30 de abril, quando recebeu alta. Na ocasião, a emissora informou que o narrador passou mal durante a transmissão.

Porém, no início do mês, no dia 8 de maio, o contato foi novamente internado. Ele passou seus últimos dias em ventilação assistida na unidade de terapia intensiva.

A carreira e a vida de Silvio Luiz

Nascido em São Paulo em 1934, desde cedo teve uma paixão pelo esporte. Sua mãe, Elizabeth Darcy, foi uma das pioneiras do sufrágio. Sua carreira começou em 1952, quando estreou em óperas radiofônicas e curtas-metragens na Rádio São Paulo. Paralelamente, trabalhou como repórter da TV Paulista. Acredita-se que ele tenha sido o primeiro repórter esportivo do país.

Em 1953, tornou-se repórter de rádio e televisão. Em 1958, ele se tornou ator. Com entusiasmo, encarnou Juliens na primeira versão de Éramos Seis (Record). Pouco tempo depois, ele esteve na trama da Câmara da Morte, na mesma emissora. Em 1960, mudou-se para a Rádio Bandeirantes, mas logo retornou para a Record.

Em 1976, tornou-se diretor de programação da Record e também tornou-se locutor principal da casa após a morte de Geraldo José de Almeida. Desde então, Silvio implementou uma nova forma de contar os jogos, deixou de detalhar tudo o que o público já assistia e passou a transmitir comédia, descontração e ironia, o que é conhecido como sua marca registrada, para estabelecer.

Ao longo de sua carreira, o narrador colecionou indicações aos prêmios Comunique-se e Troféu Imprensa. As 14 indicações para este último vão de 1982 a 2006, demonstrando sua longevidade na profissão. Em 1994, Silvio Luiz também recebeu o Prêmio da Ordem Nacional do Serviço Educacional pela defesa na televisão pública em favor do Plano Real. Este gesto foi dado a ele por Itamar Franko.

Quanto à vida pessoal, Silvio era casado. Formalizou sua união com a cantora Márcia em 1969. Juntos, os dois tiveram três filhos: Alexander, Andrea e Andre. Não há informações sobre netos.



Fonte