Um projeto em desenvolvimento há mais de dois anos, a gigante chinesa de veículos de nova energia Build Your Dreams, mais conhecida pela sigla BYD, revelou oficialmente seu primeiro bakkie na forma de um híbrido plug-in Shark.

Um novo predador

Com a sua primeira cabina dupla, que circula numa plataforma partilhada com o SUV Leopard 5, fabricado por Fang Cheng Bao, o Shark está a tornar-se um modelo global e a emergir como concorrente, entre outros mercados, na Austrália. Ford Ranger PHEV importado.

Exibido no México e supostamente estará à venda no Brasil no final do terceiro trimestre, o Shark é o modelo mais recente a se juntar à chamada linha de produtos Ocean da BYD, que atualmente inclui o hatch elétrico Dolphin, o sedã Seal e Sea. O crossover cupê Lion, o grande crossover Seal U e o pequeno Seagull conhecido como Dolphin Mini em alguns mercados de exportação.

LEIA TAMBÉM: ASSISTA: Crazy EV cobrando como BYD oficialmente precifica Atto 3

Não é novidade que o Shark mede 5.457 mm de comprimento, 1.971 mm de largura e 1.925 mm de altura, tendo uma distância entre eixos de 3.260 mm.

De acordo com a BYD, a carga útil máxima reivindicada com tração híbrida plug-in é de 835 kg, resultando em uma redução na capacidade de reboque dos 3.500 kg do segmento convencional para 2.500 kg. Nem a profundidade da água nem a limpeza do terreno foram reveladas.

Equipamento híbrido

Sua composição lembra muito a atual Ford Ranger na frente, e o perfil traseiro e lateral são semelhantes ao Volkswagen Amarok original, o ponto focal do Shark é um motor híbrido plug-in composto por um motor 1.5 turboalimentado. a uma bateria de fosfato de lítio de 29,58 kWh que aciona o motor elétrico do eixo traseiro.

Um design que a BYD chama de DMO ou Dual Offroad Mode também é usado pelo Leopard 5, uma configuração onde o motor a gasolina produz independentemente 170kW/310Nm, enquanto o módulo elétrico produz 150kW/340Nm.

Na forma híbrida, o Shark produz 320 kW/650 Nm, o que equivale a uma aceleração de 0 a 100 km/h em 5,7 segundos, de acordo com a BYD. A autonomia totalmente elétrica reivindicada é de 100 km e a autonomia total com motor a gasolina e motor elétrico é de 840 km.

Suportando carregamento de carro, o que permite alimentar alguns componentes elétricos, o Shark, por ser um híbrido plug-in, não suporta carregamento rápido DC e, portanto, pode ser carregado em uma tomada doméstica. Carregador CA de até 40 kW, exigindo 20 minutos em standby de 30% a 80%.

Especificações conhecidas

Oferecido em dois níveis de acabamento no México, GL e GS, o interior do Shark também difere dos modelos BYD atuais, embora mantenha a alavanca de câmbio em forma de T da aeronave para transmissão, bem como o sistema de infoentretenimento de 12,8 polegadas.

A folha de especificações padrão do Shark, dependendo do modelo, é muito boa com o equipamento físico e também com o cluster digital de 10,25 polegadas, que inclui carregador de smartphone sem fio de 50 watts, câmera transparente na parte inferior da carroceria, head-up display, adaptável controle de cruzeiro, 360 graus é sistema de câmeras surround, assistência à manutenção de faixa e frenagem autônoma de emergência.

A África do Sul está chegando?

Com preços entre 899.980 e 969.800 pesos no México, o Leste, embora destinado à Austrália e, portanto, disponível com volante à direita, continua a ser uma certeza para a África do Sul, apesar da Malásia. paultan.org A aprovação do relatório já foi dada para o mercado local a partir do final deste ano.

Do jeito que está, nenhuma palavra oficial veio da BYD África do Sul, a marca tem estado relativamente quieta desde a estreia do Atto 3 no ano passado.

Informações adicionais de motor1.com Brasil e carnewschina.com.

LEIA AGORA: ASSISTA: Yangwang U8 da BYD apresentado como SUV flutuante de 883 kW

Fonte