O próximo compromisso da equipe de José Roberto Guimaras está marcado para sexta-feira, às 21h, contra os EUA.

A Seleção Brasileira Feminina estão vindo carregados para o primeiro grande duelo Liga das Nações de Voleibol, nesta sexta-feira, às 21h, contra a sempre perigosa seleção dos Estados Unidos. Depois de alguns triunfos na estreia contra o Canadá, a equipe de Zé Roberto Guimaras passou com facilidade Coreia do Sul no Maracanazinho, em parte 25/15, 25/19 d 25/17.

Em um dia em que o time carioca teve muita rotação e quase todos os jogadores tiveram chances – com exceção do Líbero Naime, que estava estreando – a maior goleadora do Brasil foi a ala Ana Cristina, que finalizou com 16 gols. terra, 14 ataques e dois bloqueios. A capitã Gabi descansou na final e terminou com 12.

Como prometeu fazer na Liga das Nações de Vôlei, o técnico Zé Roberto mudou o elenco, substituindo três jogadores que atuaram na vitória de estreia contra o Canadá. A levantadora Roberta substituiu Makris, Kisi substituiu Rosamaria (ela estava descansada para a partida) como adversária e o líbero foi Natinha, não Naime. Gabi, Diana, Ana Cristina e Julia Cudiess foram as outras titulares.

Mesmo alterada, a seleção brasileira começou o jogo com tudo, abrindo com placar de 7 a 0 no Maracanã. Com o ataque de Gabi, o placar ficou em 1 a 0. Depois, seis saques consecutivos do capitão, com bons ataques e aces.

Depois de uma grande jogada que durou cerca de 30 segundos, os coreanos reduziram para 15 a 11 e Zé Roberto foi obrigado a interromper o jogo para pedir concentração da equipe e um desconto de tempo. Eu não queria abrir mão de uma grande vantagem como contra o Canadá, quando eles venceram por 19-14 e empataram em 24-24.

O tempo expirou, Ana Cristina e Kisi marcaram pontos consecutivos e o comando do placar foi restaurado. No final, o grupo destemido foi fechado com o Brasil, por 25 a 15, com bloqueio de Julia Bergman. Ana Cristina foi a artilheira verde e amarela com seis pontos.

O Brasil, com Gabi de plantão, também começou muito bem o segundo set, abrindo o placar de 4 a 1. A equipe mostrou força na finalização, mas também foi muito rápida nos ataques, pelas laterais ou pelo meio da rede.

Com um ataque desprotegido da Coreia e dois erros – um bloqueio no corpo e um chute errado – os brasileiros viram os asiáticos fecharem por 7 a 6, a 11 a 8, com bloqueio de Kisi.

Zé Roberto iniciou o rodízio do time e deu a Tainara a primeira oportunidade na Liga das Nações. E o lateral usou bem os ataques para derrubá-lo. Diana deu ao Brasil uma vantagem de 20 a 15 com uma bandeja simples e ficou atrás no resto do período. Estava empatado em 25 a 19 no saque.

Depois de perderem toda a partida até aquele momento, os coreanos recuperaram de uma desvantagem de 2 a 0 no terceiro set. A alegria durou pouco, com Karol – novato nas parciais e novato nas corridas – bloqueando e equalizando. Especialista em bloqueios, o meio-campista brasileiro voltou para fazer 10 a 6 e forçar o desconto de tempo coreano.

A transição de serviço do Setter Makris foi crucial para a equipe conquistar uma vantagem de sete pontos com 15-7. Jogadora do Flamengo e uma das novas jogadoras do time, Helena, de apenas 19 anos, liderou a tabela ao marcar 21 gols. a 9. O Brasil perdeu quatro oportunidades de fechamento. Na quinta, Taynara conquistou 25 a 17 pontos.

Fonte