Todo torcedor da La Liga tem o direito de sentir que este é o fim de uma temporada sem sentido. O Real Madrid comemorou o título da liga, a batalha pelo rebaixamento está muito estruturada e apenas a última vaga europeia estará determinada.

Mas a fase final do Barcelona tem muito a seu favor. Se o Barça vencer em casa o Almería na quinta-feira, terá quatro pontos de vantagem sobre o Girona, que perdeu quatro pontos nos últimos dois jogos, faltando duas partidas para o final.

Fontes do Barça – como outros neste artigo, que falaram sob condição de anonimato para proteger relacionamentos – estimam o impacto financeiro do segundo lugar para eles em cerca de € 6 milhões (US$ 6,5 milhões; £ 5,1 milhões) com seu envolvimento na próxima SuperTaça do Barcelona. Espanha (Espanha). versão do Public Shield English) na Arábia Saudita.

As mesmas fontes insistem que o dinheiro não muda vidas – pois é o valor estimado que podem arrecadar organizando um amistoso no exterior, como fizeram em dezembro passado contra o Club América, do México, em Dallas.

VÁ MAIS FUNDO

O retorno de Xavi ao Barcelona – a dramática história por trás de sua decisão de ficar

Mas, acima de tudo, é muito necessário do ponto de vista desportivo. “É importante conseguir o segundo lugar – seria um fracasso não garanti-lo agora”, disse Xavi antes do jogo com o Real Sociedad, no domingo.

Esse segundo lugar é o que vai convencer o treinador a permanecer no Barcelona, ​​já que não há consenso se o jogador de 44 anos é o melhor homem possível para o cargo.

Já se passaram três semanas desde que Joan Laporta, Xavi e Deco posaram juntos nas instalações de treinamento de Joan Gamper, sorrindo e apertando as mãos para os fotógrafos anunciarem sua decisão de deixar Xavi ficar e cumprir o próximo ano de seu contrato – três meses depois ela o estava deixando.


Deco, à esquerda, Laporta, no meio, e Xavi após concordarem em permanecer como treinador no mês passado (LLUIS GENE/AFP via Getty Images)

Essa imagem deveria acabar com a incerteza. Não.

No dia 24 de abril, foi Laporta quem decidiu, após uma reunião de emergência em sua casa, que Xavi deveria ficar. Poucas horas antes, uma reunião da diretoria ocorreu fora do Camp Nou, e vários executivos do clube ficaram com a impressão de que o técnico estava pronto para sair no final da temporada e concordou. Essas dúvidas permanecem.

Uma dolorosa derrota fora de casa por 4 a 2 para o Girona, há duas semanas, confirmou as preocupações dos membros do conselho sobre a posição de Xavi, pois sentiram que foi apenas mais um episódio dos mesmos problemas que o técnico enfrentou ao longo da temporada.

A forma como a equipe desmoronou naquele jogo, que marcou três gols em 10 minutos do segundo tempo, lembrou algumas das atuações mais dolorosas da temporada, como a derrota em casa do Villarreal que levou à aposentadoria de Xavi ou o Clássico no último minuto. Derrota no “Santiago Bernabéu”.

A vitória por 2 a 0 sobre o Real Sociedad na última segunda-feira foi uma vitória custosa para o Barcelona. Eles sempre parecem estar a um perdedor de um debate mais aprofundado sobre o futuro de Xavi.
Agora está claro que os números relevantes dentro do clube não parecem estar na mesma página.

Os dirigentes do clube acreditam que Xavi colocou o clube em apuros duas vezes nesta temporada: primeiro, ao anunciar sua surpreendente demissão por causa de seus mandatos e quando anunciou sua revisão e pediu ao presidente Laporta que lhe desse outra chance.

Além desse ressentimento, as palavras do diretor esportivo Deco na TV espanhola antes do jogo contra o Real Sociedad disseram muito.

Deeper

VÁ MAIS FUNDO

A ‘controvérsia Deco’ do Barcelona – por que a entrevista do diretor esportivo se tornou um tema quente

“Lemos muito sobre o Barcelona, ​​o que é normal porque é isso que o clube produz. Quando não há futebol durante 10 dias, é isso que você ganha.

“Mas a discussão sobre o futuro deve ocorrer dentro do país. Não podemos falar em voz alta sobre o que estamos fazendo. Devíamos estar a planear a próxima época em casa e não nos meios de comunicação locais. Não há muita gente no campo esportivo do clube. Agora sou o presidente Laporta e o gerente. “Se os vazamentos não vêm daqui, não sei de onde virão… mas aqui estamos acostumados.”

Não é difícil interpretar isso como uma crítica sutil de Deco, que não ficou feliz em ler a ambiciosa lista de alvos de transferência do Barcelona.

Fontes próximas ao esporte não preveem mudança no elenco, pois qualquer chegada dependerá de o Barcelona resolver seus problemas financeiros com a La Liga e vender jogadores para dar espaço a novos jogadores.

Consta que a comissão técnica do Barcelona solicitou um novo meio-campista (Joshua Kimmich ou Martin Zubimendi), outro meio-campista ofensivo (Bernardo Silva), um novo ala (Xavi Simons ou Dani Olmo) e até um zagueiro (Juan Foyt). ) – mas isso é tão irrealista, dada a situação financeira do Barça.


Kimmich está ligado ao Barça – mas eles podem contratar o meio-campista do Bayern (Daniela Porcelli/Eurasia Sport Images/Getty Images)

Não é possível que todas essas contratações aconteçam, mas este é um excelente exemplo de como o Barcelona funciona.

Cada departamento do clube fará a sua avaliação da situação ou fará um resumo porque, no fundo, todos sabem que não o fazer podem perdê-los na guerra narrativa.

Faltam menos de duas semanas para o final da temporada, mas será o início de outro longo verão e os principais tomadores de decisão não estão na mesma página.

Uma coisa em que eles concordam é o quanto precisam vencer o Almeria para terminar em segundo.

(Foto superior: Laporta e Xavi em tempos mais felizes. David Ramos/Getty Images)

Fonte