Quinta-feira, 16 de maio de 2024 – 00h04 WIB

Palembang – O Oficial da Organização de Peregrinação (PPIH) em Palembang, Sumatra do Sul, mais uma vez deu a triste notícia. Um peregrino que foi para a Arábia Saudita deu seu último suspiro na terra santa.

Leia também:

Momentos tensos: avião do Sul Sulawesi Hajj pega fogo no ar

Este é Yusman Irawan bin Muhammad Yusuf Arif, o segundo grupo da congregação da cidade de Lubuk Linggau. Yusman morreu no Hospital King Fahd, Medina, na terça-feira, 14 de maio de 2024, aproximadamente às 17h25. O falecido foi enterrado no cemitério Baki de Medina.

O líder da equipe do Embarque 2 de Palembang, Muslim Aswari, explicou que Yusman ainda estava com boa saúde quando chegou a Medina em 13 de maio. Mas ontem o falecido estava doente, então o levaram ao Hospital King Fahd. E ontem à tarde, o falecido foi declarado morto aos 64 anos.

Leia também:

O avião pegou fogo, potenciais peregrinos do Hajj de Makassar decolaram novamente

“Depois de passar pelo processo de processamento dos documentos e envio do corpo ao Hospital King Fahd no início da manhã, o corpo do falecido foi levado à Mesquita Nabavi para orações. “Depois da oração da manhã, por volta das 04h50, o corpo foi enterrado no cemitério de Baqee”, explicou Muslim ao confirmar quarta-feira, 15 de maio de 2024.

Leia também:

Motor do suposto avião peregrino queima, avião da Garuda pede desculpas

Muslim explicou que o grupo de embarque 2 de Palembang partiu do Aeroporto Sultan Mahmud Badaruddin (SMB) II usando a Saudi Arabian Airlines na manhã de segunda-feira, 13 de maio de 2024 e chegou ao Aeroporto AMAA Medina às 13h03 WAS. O grupo que saiu era de 448 pessoas, entre as quais estava o falecido Yusmon.

O Chefe do Escritório Regional (Kanwil) do Ministério da Religião de Sumatra do Sul (Kemenag), Syafitri Irwan, como presidente do PPIH em Palembang, expressou suas condolências pela morte do falecido.

Ele acreditava que o falecido morreu em bom estado, porque iria realizar o Hajj. – Se Deus quiser, você receberá a recompensa do Hajj Mabrur – explicou Syofitri.

Por ter morrido em Medina, foi visitado. “O governo prepara o programa Haj Badal para a peregrinação do Haj em todas as organizações operacionais. “Este programa faz parte dos serviços preparados para congregações que atendem aos critérios”, disse Syafitri.

Segundo Syafitri, existem três grupos de peregrinos que realizam o Hajj. Primeiro, os peregrinos que morreram durante a viagem do Hajj ou na fase intermediária da viagem, durante a viagem para a Arábia Saudita ou na Arábia Saudita antes do Waqf em Arafa. Em segundo lugar, a comunidade está doente e não tem condições de viajar. Terceiro, congregantes com transtornos mentais.

A jornada do Hajj passa por vários estágios. Primeiro, a coleta de informações sobre os peregrinos morreram antes de 9 Dhul-Hijjah, às 11h, horário da Arábia Saudita (WAS). Em segundo lugar, a formação de oficiais do Badal Hajj em Dakkar Makkah.

Terceiro, os peregrinos foram enviados para Arafa às 11h do dia 9 de Dhu al-Hijjah. Quarto, a pessoa responsável pelo Badal Hajj completa o waqf e continua a cadeia de adoração do Hajj que é apropriada e obrigatória até que toda a cadeia seja concluída e termine com o barbear como sinal de tahalul.

Tumba de Baki em Medina

Tumba de Baki em Medina

O próximo passo, disse Syafitri, é o oficial do hajj de Badal assinar uma declaração de que cumpriu seus deveres do hajj. Depois disso, o PPIH da Arábia Saudita emitiu o certificado Hajj.

“O certificado de hajj de Badal foi entregue ao oficial da tripulação de voo (equipe de voo) para ser entregue às famílias dos peregrinos. “Realizar o Hajj é gratuito ou gratuito.

Próxima página

Ele acreditava que o falecido morreu em bom estado, porque iria realizar o Hajj. – Se Deus quiser, você receberá a recompensa do Hajj Mabrur – explicou Syofitri.

Próxima página



Fonte