Washington Rodríguez também foi técnico e dirigente do Flamengo

Lenda do rádio no Brasil, Washington Rodríguez, conhecido como Apoliño, morreu na última quarta-feira (15) no Rio de Janeiro, aos 87 anos. Ó Lança! ele relembra algumas frases significativas criadas pelo jornalista esportivo e explica como surgiu o apelido do comentarista.




Foto de : Lance!

Apoliño iniciou sua carreira no rádio na década de 1960, passando por grandes emissoras como Rádio Globo e Tupi, onde atua até hoje. O apelido de Washington Rodriguez surgiu por causa do microfone sem fio utilizado pelo jornalista, que era o mesmo microfone utilizado pelos astronautas na missão Apollo 11, em 1969.

O locutor Celso García apelidou o microfone do jornalista de “Apoliño” e depois de um tempo o narrador Valdir Amaral passou a fazer o mesmo. Nos anos posteriores, este termo foi incorporado a Washington Rodriguez.

Apoliño, torcedor do Flamengo, era irreverente em suas transmissões, criando alguns termos que são conhecidos e difundidos até hoje, como “Mais feliz que tinta no lixo”, “briga de cachorro grande” e “chocolate” para se referir aos gols.

Em 1995, o jornalista foi convidado para ser técnico do time do Flamengo, onde teve curta passagem com 26 jogos, 11 vitórias, oito empates e sete derrotas. Após três anos, o jornalista voltou ao clube como diretor de futebol.

Fonte