O Nintendo Switch é sem dúvida um dos melhores consoles criados não só pela Nintendo, mas por todas as empresas concorrentes no espaço. Possui habilidade, uma enorme biblioteca de jogos e uma série de títulos do monstro favorito de todos – Pokémon.

Porém, nem tudo foram Sunlforas e Alcremies quando se trata de lançamentos de Pokémon no Switch, e algumas importações têm sido um tanto sem brilho, sem mencionar o baixo desempenho.

No entanto, isso não impede que fãs obstinados e crianças entrem na série pela primeira vez, já que o Switch superou oficialmente todos os outros sistemas Nintendo em termos de vendas dos principais jogos Pokémon.

Esta informação segue o último relatório anual de lucros da Nintendo, que afirma que Scarlet & Violet movimentou mais 560.000 cópias desde o início de 2024, elevando o número total desde o lançamento para 25 milhões. Junte isso a 26 milhões de Sword & Shield e outros jogos importantes como Brilliant Diamond e Shining Pearl e você alcançará 96 milhões de unidades vendidas.

Este número é obviamente astronômico, mas é um tanto surpreendente considerando que a maioria das criações da Game Freak alcançaram sucesso desde o lançamento da plataforma. O que esse número faz, porém, é solidificar o Switch como o número um para os principais jogos Pokémon, já que o segundo colocado – Game Boy/Game Boy Color – gerencia apenas 75 milhões.

O que isso mostra é que os jogadores estão famintos por títulos Pokémon agora mais do que nunca e, apesar dos problemas que esta geração de consoles enfrentou, é uma franquia que só está crescendo em popularidade.

Com Pokémon Legends: ZA definido para 2025 junto com o potencial para a próxima iteração do Switch, há tempo para 95 milhões irem ainda mais longe. Talvez até quebrando a barreira dos 100 milhões se forem verdadeiros os rumores de que o Switch 2 será compatível com versões anteriores e é possível que novos títulos de Pokémon sejam lançados em ambas as plataformas.

De qualquer forma, me dê mais Pokémon, Nintendo, vou tentar fazer você passar dos 100 milhões de linhas.



Fonte