O treinador encerrou a carreira no Vitória de Guimarães

O alvo do Vasco, Álvaro Pacheco, é elogiado por quem trabalhou com o comandante em Portugal, bem como por jornalistas que acompanharam sua trajetória profissional. Contratado como treinador em 2018, o técnico passou por Fafe, Vizela, Estoril e Vitória de Guimarães.




Foto de : Lance!

Zagueiro que ganhou fama no jogo do América-MG, Anderson chegou ao Vizela no início de 2022 e atuou por um ano sob o comando do futuro técnico Cruz-Maltino. O zagueiro falou sobre seu relacionamento diário com o treinador.

– É um cara que exige muito dos seus jogadores, seja nos jogos ou nos treinos. Ele exige muitas coisas de todos nos treinos e todos querem. É também um profissional que se entrega e se conecta com o clube e com a torcida. É muito envolvente e vibra a cada movimento. Ele sempre exige que o time seja forte no desempenho e vença nas duplas. Na verdade, ele insiste nesta tensão. Gosta que o time tenha muita posse de bola e faça as jogadas com inteligência, da maneira mais simples possível.

Além disso, o treinador, que é conhecido por usar boina na cabeça nas reuniões, é considerado um profissional muito calmo, brincalhão e respeitoso com a equipe. Com isso, o Vasco poderá encontrar um aliado entre os atletas.

Do ponto de vista tático, o jornalista português André Gonçalves resumiu as duas últimas obras de Álvaro Pacheco: Estoril e Vitória de Guimarães. Comandante é uma profissão que tende a diversificar suas equipes e se adaptar ao time em questão.

– Álvaro foi cada vez mais forte nesta década: em 2019/20 ingressou no Vizela e conduziu a equipa do Campeonato de Portugal (na altura era da terceira divisão) à Segunda Liga. Na temporada 2020/21, o Vizela ingressou na Premier League. Foi a sua estreia como treinador na Primera Liga e Wiesela não disputava a Primera Liga há mais de 30 anos. Sempre famoso por seus times que praticam um futebol emocionante. No Estoril jogou em 4-3-3 ou 4-2-3-1. Em Vitória utilizou uma linha de três defesas, ora 3-5-2, ora 3-4-3.

Com a aproximação do Campeonato Português, Álvaro Pacheco poderá assinar contrato com o Vasco nas próximas semanas. O Cruz-Maltino volta a enfrentar o Cruzeiro no dia 2 de junho, em São Januário.

USO DE BOINA

Uma das características que caracterizam a carreira de Álvaro Pacheco é o uso da boina. Em entrevista ao jornal português “Record” em 2021, o treinador explicou o motivo da utilização desta ferramenta nos jogos da sua equipa.

– Eu sempre uso boné. Beret é culpado por Pedro Albergaria (ex-diretor desportivo de Vizela). Trocamos de roupa nos dias de jogo. Um dia ele me disse: – Esse ano ele não fica bem com roupa. E se eu usar boina?’. E eu disse: “Vamos ver. O que eu quero é algo para proteger minha cabeça. Foi uma ideia que gostei muito.

Quando esteve no Estoril, o uso da boina de treinador foi motivo de piada entre a equipa. O atacante brasileiro Cassiano “roubou” o equipamento do capitão e cobriu a cabeça após marcar um gol.

Fonte