Quarta-feira, 15 de maio de 2024 – 12h44 WIB

Washington – A representante do Partido Democrático dos Estados Unidos (EUA) Rashida Tlaib (D-MI) falou sobre o convite do Presidente da Colômbia Gustavo Petro ao Tribunal Penal Internacional (TPI) para emitir um mandado de prisão do Primeiro-Ministro Ministro de Israel. Ministro Benjamin Netanyahu pelos atos genocidas na Faixa de Gaza.

Leia também:

Violência em Gaza, rostos de soldados israelenses escurecidos após picadas de abelha

Num comunicado na semana passada, Tlaib assumiu a mesma posição do presidente colombiano, condenando o governo israelita pela sua operação militar em Rafah, a sul da Faixa de Gaza.

Ele também deu a entender que os EUA estavam envolvidos devido ao financiamento militar que forneceram a Israel.

Leia também:

Ariana Grande assinou uma petição por um cessar-fogo em Gaza em apoio à Palestina

Militares VIVA: Primeiro Ministro de Israel, Benjamin Netanyahu

“Não é coincidência que imediatamente após o nosso governo ter enviado 14 mil milhões de dólares (225,2 biliões de rupias) ao regime do apartheid de Israel, sem quaisquer condições de direitos humanos, Netanyahu lançou um ataque terrestre a Rafah para continuar o genocídio contra o povo palestiniano. com munições e armas. bombas pagas com o dinheiro dos nossos impostos”, disse Tlaib, citado pelo The Jerusalem Post, quarta-feira, 15 de maio de 2024.

Leia também:

O comportamento insano dos soldados israelenses torna as crianças palestinas vítimas da guerra

Tlaib também chamou Israel de estado de apartheid. Apontou ainda para as estatísticas do Ministério da Saúde de Gaza, que está sob a liderança do Hamas, de que as forças israelitas mataram mais de 35 mil palestinianos.

Tlaib criticou então os seus colegas que optaram por continuar a ajudar Israel, dizendo que estavam a tolerar esta barbárie e que o seu país estava a participar activamente no genocídio.

Ele também pediu o fim de todo o financiamento militar dos EUA para o regime do apartheid em Israel e exigiu que o presidente Joe Biden pressionasse por um cessar-fogo com a libertação de reféns e a retirada de todas as forças das FDI de Gaza.

A declaração terminou com Tlaib apelando ao TPI para emitir mandados de prisão extremos contra Netanyahu e outras autoridades israelenses que ele diz serem responsáveis ​​pelo genocídio.

De acordo com o meio de comunicação de direita norte-americano Fox News, o gabinete de Tlaib recusou-se a responder a um pedido de esclarecimento sobre se o Hamas deveria assumir a responsabilidade pelo massacre de 7 de Outubro.

Conforme relatado anteriormente, o Presidente da Colômbia, Gustavo Petro, pediu ao Tribunal Penal Internacional que emitisse um mandado de prisão para Benjamin Netanyahu, o Primeiro Ministro de Israel, em conexão com o genocídio na Faixa de Gaza.

Petro escreveu na conta X que “a brutalidade de Netanyahu exige ação legal”.

O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu (Doc: AP Photo)

O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu (Doc: AP Photo)

Foto:

  • VIVA.co.id/Natania Longdong

Apoiou também a criação de uma força de manutenção da paz em Gaza pelo Conselho de Segurança da ONU.

Isto ocorre no momento em que Gustavo Petro anuncia que cortará laços diplomáticos com Israel devido à operação genocida em Gaza que matou mais de 28.064 pessoas e feriu outras 67.611.

O presidente da Colômbia também atacou anteriormente o primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu, e pediu ao Tribunal Internacional de Justiça que considerasse a reclamação da África do Sul contra Israel.

Próxima página

Ele também pediu o fim de todo o financiamento militar dos EUA para o regime do apartheid em Israel e exigiu que o presidente Joe Biden pressionasse por um cessar-fogo com a libertação de reféns e a retirada de todas as forças das FDI de Gaza.

Próxima página



Fonte