Uma mãe de Pretória Ocidental foi recentemente condenada a 20 anos de prisão pelo assassinato das suas duas filhas.

O Tribunal Superior de Pretória, Lehlogonolo, condenou Mary Bokaba (29), de Saulsville, a 10 anos de prisão pelo assassinato dos seus filhos de dois meses e de oito anos.

O porta-voz da Procuradoria Nacional, Lumka Mahanjana, disse que o NPA acolheu com satisfação o veredicto.

De acordo com Mahanjana, o tribunal ordenou que as sentenças fossem executadas simultaneamente depois que ele se confessou culpado das acusações apresentadas contra ele pelo NPA em 13 de maio.

“Bokaba teve um relacionamento amoroso com o pai de um bebê de dois meses e ficou com ele no quarto dos fundos, no quintal de seus pais. Enquanto os dois estavam em um relacionamento, Bokaba percebeu que seu amante a traía constantemente e que também não a ajudava com os filhos”, disse Mahanjana.

Mahanjana disse que em 12 de maio de 2022, Bokaba decidiu deixar o marido e ligou para a mãe para ajudá-la em 14 de maio de 2022.

“No entanto, quando ela acordou na manhã de 14 de maio de 2022, ela disse ao tribunal em sua declaração de reclamação que estava triste com o estado de seu relacionamento com o marido. Ela decidiu enforcar a si mesma e aos filhos com uma corda para salvá-los das consequências de crescerem sem mãe.

Mahajana disse que depois de enforcar e matar as crianças, ela tentou suicídio e também se enforcou, mas não conseguiu.

Ele disse que Bokaba desamarrou as crianças, colocou-as na cama e ligou para a sogra.

“Minha sogra descobriu o incidente depois de uma ligação não atendida de Bokaba.

Quando a sogra foi até o quarto dos fundos verificar, encontrou os corpos das crianças na cama. A polícia foi chamada e Bokaba foi preso e está sob custódia desde então.”

No tribunal, durante a audiência de sentença, o advogado de defesa Piet Luit argumentou que Bokaba cometeu um crime hediondo que causou a morte de dois filhos menores e causou graves traumas psicológicos às famílias das vítimas, que ainda sofrem de traumas não resolvidos.

Na sentença, o juiz Mashoudu Munjelele concluiu que havia circunstâncias sérias e convincentes para afastar a pena mínima de 15 anos porque Bokaba não desperdiçou o tempo do tribunal, declarou-se culpado e era réu primário.

Munjelele disse que Bokaba cometeu os crimes sob estresse. Ela também solicitou que a informação fosse disponibilizada às mulheres que sentem que não têm recurso.

Você sabe mais sobre a história?

Por favor envie-nos um e-mail [email protected] ou ligue para 083 625 4114.

Para notícias gratuitas e informações da comunidade, visite os sites da Rekord: Grave o leste

Para mais notícias e artigos interessantes, como Rekord em FacebookSiga-nos Twitter ou Instagram



Fonte