A brasileira Jucilene Sales de Lima foi o destaque do Grande Prêmio Brasil de Esportes de Cuiabá, realizado na noite desta quarta-feira (15), no Centro de Treinamento Olímpico da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT). Ele estabeleceu um novo recorde do campeonato no lançamento de dardo com um resultado de 62,52 m. Jusileen também ficou a 37 centímetros do recorde brasileiro que lhe pertence (62,89 m).




Jusilene de Lima

Foto: Olimpíadas todos os dias / Olimpíadas todos os dias

+ SIGA O NÃO OTD TwitterÉ FACEBOOK

“Estou no meu melhor e esse foi o melhor desempenho do ano, fiquei a poucos centímetros do recorde brasileiro. Agora é hora de tratar e ver o que está me incomodando com essa panturrilha”. Jucilene, atleta do IEMA de São Caetano do Sul-SP. Ele sentiu dores na panturrilha durante a prova e jogou a última, o que acertou. Manuela Rotundo (URU) conquistou a medalha de prata (59,80m) e sua compatriota Laila Ferrer, do Praia Clube-MG, a medalha de bronze (51,05m).

Duas vezes na corrida de 110 metros

Os brasileiros Rafael Pereira e Eduardo de Deus conquistaram ouro e prata respectivamente nos 110 metros rasos do GP Brasil. Rafael (atleta da AABLU-SC), que já tem classificação olímpica para os Jogos Paris 2024, venceu com resultado de 13 a 51. Eduardo (Praia Clube-MG), por sua vez, continuou perseguindo o índice e conquistou a medalha de prata com 13,66. Bronze para o jovem Thiago Rezende (Atletismo Taubaté-SP), de apenas 20 anos.

“Tive uma boa aceleração, cometi um erro na quarta barreira, mas melhorei a finalização. melhor temporada, o tempo não estava ruim e com vento bom”, disse Rafael Pereira. “Tive uma boa largada, com boa aceleração, mas não uma boa finalização. Acho que cansei de filmar no final de semana”, disse Eduardo de Deus. Os dois vão disputar o GP Brasil de Niterói, no Rio de Janeiro, no próximo domingo (19).

Título para Darlan Romani

Darlan Romany acertou com força nos 20m e venceu o arremesso de peso com 21,03m. O catarinense de 33 anos ainda se recupera da dengue que o afastou dos treinos por 15 dias. “Fiquei tranquilo e a volta deve ser tranquila. Me senti muito mal, perdi cinco quilos de músculos. O caminho é voltar devagar para que o corpo responda”, analisou Darlan, que também segue para o GP de Nitero.

Welington Silva Morais, do Maranhão, conquistou a medalha de prata no peso com resultado de 20,53 metros. Nazareno Sasia da Argentina (20,17 metros) ficou com o terceiro lugar. “Esperava mais porque vim de boas semanas de treino com ótimas jogadas. É trabalhar, manter a cabeça no lugar e continuar focado nos Jogos Olímpicos de Paris”, disse Maranhão.

*Cortesia da Confederação Brasileira de Atletismo



Fonte