O ex-locutor e treinador morreu nesta quarta-feira, 15, aos 87 anos

16 de maio
2024
– 07:18

(atualizado às 7h18)

“Ícone”, “Ídolo” e “eterno” são algumas das palavras utilizadas em homenagem ao radialista e ex-técnico do Flamengo, Washington Rodríguez, conhecido como Apoliño, por seus compatriotas, times e símbolos do futebol como o Maracanã. O radialista lutava contra um câncer e morreu na noite desta quarta-feira, 15, no Rio, aos 87 anos.

Pelas redes sociais, o perfil oficial do Flamengo escreveu que Apoliño é “um dos maiores comunicadores do esporte nacional” e destacou o título de técnico “mais querido” recebido durante o centenário do time. “Isso moldou a forma como o futebol era vivido”, disse ele.

O ex-jogador do Flamengo, Barcelona e Real Madrid, Evaristo de Macedo, também recorreu às redes sociais para prestar homenagens, alegando ter falado com o radialista há três dias. “Um grande amigo, ídolo, torcedor, irmão, amante do rádio, do futebol e do Flamengo”, disse.

O perfil oficial do Estádio do Maracanã também se pronunciou, anunciando a despedida de “uma grande figura do jornalismo esportivo”.

Com as palavras: “Seu carisma e expressões cativantes nunca serão esquecidas”, o American Football Club se despediu do radialista via X, antigo Twitter. A equipa lamentou o seu falecimento e afirmou que Apoliño foi “um ícone da imprensa desportiva”.

A Rádio Tupi, casa do radialista, também homenageou a comunicação. que encerrou seus 25 anos de rádio com o “Show do Apoliño” em fevereiro. “Uma das maiores comunicações da radiodifusão brasileira”, disse ele.



Fonte