Um homem de 39 anos, que estava em liberdade condicional, foi preso duas vezes em menos de 24h, em Dourados (MS). Para a polícia, ele contou que cometeu os crimes de furto e dano ao patrimônio público para voltar à prisão e ficar junto ao namorado, que segundo ele ainda tem “muita cadeia para tirar”.

 

Conforme o registro policial, o namorado dele está preso na Penitenciária Estadual de Dourados. O homem furtou, no início da noite de segunda-feira (11), uma bicicleta e ficou na região do crime até ser visto pela dona do veículo.

 

Segundo o registro policial, ela pediu ajuda a populares para contê-lo, porém o suspeito não apresentou resistência e disse que cometeu o crime para voltar ao Sistema Carcerário para reencontrar o namorado.

 

Contudo, horas depois o homem foi solto para responder pelas ações em liberdade. Focado em concretizar o objetivo de "reencontrar o amor", ele voltou a cometer crimes logo após ser solto. Um vaso sanitário da praça Antônio João foi um dos alvos dele.

 

“Assim que saiu da delegacia já foi fazer um segundo furto e em seguida danificou o patrono público [vaso sanitário], daí foi preso hoje cedinho, porque ficou parado ao lado do posto da Guarda Municipal esperando ser preso”, detalha o delegado que acompanhou o caso, Gabriel Desterro.

O delegado disse que explicou para o homem sobre progressão de regime e livramento condicional que poderiam ser aplicados no caso do namorado dele. Segundo Desterro, inicialmente o homem disse que não era somente pelo namorado, mas depois assumiu que cometeu os crimes exclusivamente por essa razão.

 

“Me prende pelo amor de Deus, sem ele nada faz sentido”, disse o homem ao delegado.

Ele também disse às autoridades que "se fosse solto, iria matar alguém para ser preso e poder falar com um juiz".

 

Ao g1 MS, o delegado explicou que no momento o homem está preso na 1ª Delegacia de Polícia de Dourados, onde aguarda para participar de audiência de custódia. Na ocasião, será definido se ele retornará para a penitenciária da cidade ou responderá pelos crimes em liberdade.