Prêmios recordes e aumentos médios na participação e receita indicam aumento da concorrência

A Copa do Nordeste, que terminou no domingo (9) com a conquista do tricampeonato do Fortaleza sobre o CRB, bateu recordes e ficou mais interessante. A temporada 2024 apresentou tendência de crescimento em diversos aspectos, ainda mais visível e atraente para clubes, torcedores e marcas, além de aumento na premiação e receita média e maior público.




Foto de : Lance!

No total, a CBF distribuiu um valor de R$ 50 milhões aos clubes participantes da região, um recorde na história da competição. Além do que recebeu nas rodadas anteriores, o Fortaleza recebeu mais de R$ 2,1 milhões pelo título.

Quanto ao aumento do número de espectadores, considerando os dois últimos jogos do torneio, 683 mil torcedores compareceram aos estádios regionais em todas as 71 partidas. Esse número é 33% superior ao da temporada passada, quando 514 mil pessoas assistiram às partidas. A média de torcedores por jogo chegou a 8.136. Para se ter uma ideia, são apenas os dois estados mais importantes do país – Paulista e Carioca.

Aumento da renda

As quatro médias atuais da competição foram: Bahia (34.851 torcedores), Fortaleza (24.952 torcedores), Sport (16.910 torcedores) e Ceará (14.897 torcedores). Em termos de receita, o valor total arrecadado em todos os jogos chegou a R$ 15 milhões. Em comparação com a temporada anterior, a receita total de toda a competição aumentou 29 por cento.

Além da presença marcante de público, o Bahia também foi o clube que mais levou torcedores aos estádios. Foram mais de 134 mil sócios, o que representa 64 por cento do número total de espectadores que o clube recebeu como sede do torneio. Fortaleza e Ceará também representaram a maioria dos espectadores torcedores, com 53% e 51% respectivamente.

O herói desta edição, o Fortaleza, além de garantir vaga na terceira fase da Copa do Brasil em 2025, também espera um aumento no número de torcedores. Atualmente, o Leão do Pisi conta com cerca de 38 mil associados e, segundo estimativa do diretor-geral da SAF do Fortaleza, Marcelo Paz, pretende chegar a 50 mil este ano.

Fonte