Crítica: O ‘Casos de Família’ é o reality show da vida real, sem retoques

Publicidade:

POR ALLAN SANTOS: Uma carreira consolidada pelo popularismo, tudo que é popular, tudo que o povo gosta. E o povo gosta muita dela. Christina Rocha, a mulher de peito e coragem do SBT, que leva ao ar, de segunda a sexta, o Casos de Família.

No seu primeiro formato, o Casos de Família foi apresentado pela jornalista Regina Volpato, de 17 de maio de 2004 até o dia 27 de Fevereiro de 2009. O programa se manteve como um dos únicos do SBT que não foi retirado do ar durante um período de instabilidade na emissora. Em 2009, Regina Volpato que conduzia o programa de forma civilizada, sem bate-bocas e discussões “acaloradas”, resolveu não renovar o contrato com o SBT, pois, a emissora neste mesmo ano, estava com a ideia de mudar o formato e torná-lo bem mais popular.  Foi então que o SBT foi em busca de uma nova apresentadora para o programa e fez uma série de pilotos com as apresentadoras Claudete Troiano, Márcia Dutra, Olga Bongiovanni, Christina Rocha e outros apresentadores. Christina Rocha acabou sendo escolhida pela emissora e pelos donos do formato, e assumiu a apresentação.

Logo no primeiro dia de estreia do novo formato, Christina Rocha mandou uma das participantes se retirar do programa por estar rindo debochadamente da situação. Isso se repetiu no caso com o título Devo, não nego. Pago quando puder, quando Christina retirou três convidadas porque elas discutiam muito. E assim as donas de casa, os jovens e toda a família abraçou esse programa, que é a cara do SBT, que é a cara do popular, a cara do brasileiro, aquele que fala, não esconde nada e não têm medo de dar à cara pra bater na televisão.

Escolha melhor para apresentadora deste formato não tem. A Christina Rocha faz isso muito bem. Ela sabe conduzir ao mesmo tempo os convidados,  interagir com a plateia e a psicóloga. Em muitas vezes toma as dores do convidado, como no caso do homem que ameçou a mulher no palco do programa, em indignação, a mesma abandonou a apresentação enquanto ele não saísse do programa. Casos como esse são temas frequentes do programa, como o do marido que confessou que:  ”Mulher tem que apanhar”. Teve também os sucessos da internet, que veio do palco doCasos de Família, o ”Eu queria um Naite Bruique”, ”Mulher Fruta Pão”, entre outros.

Unindo tudo isso, traz uma fórmula de sucesso ao SBT, que faz a emissora elevar seus índices de audiência no horário, e assim conquistar a vice-liderança quase que todos os dias. Programas como esse, não deve ser extinto nunca da TV Brasileira. Baixaria é focar bumbum de mulheres, quase nuas, no domingo à noite e não falar que a realidade do povo brasileiro, mostrado pelo programa, é baixaria.

Desculpe, mas algumas pessoas têm que rever os seus conceitos básicos. Sem demagogia, podemos afirmar que o Casos de Família é o reality show da vida real, sem retoques. E tenho dito.

Allan Santos

@oallanzinho

As opiniões aqui retratadas não refletem necessariamente a posição do Registro POP, e são de total responsabilidade de seu idealizador.

você pode gostar também Mais do autor

1 comentário

  1. Eu diz:

    Discordo plenamente do que você falou nessa crítica. No formato da Christina Rocha que começou os escândalos de casos mentirosos pois tem pessoas que tem aparecido nos programas do João Kléber. Vi pelo menos 5, e podem ter mais. A Christina não sabe conduzir convidados. Ela já expulsou convidados até por muito pouco. E a Regina nunca espulsou, eu fiquei indignado com a Christina provocando a briga de um casal, com ela revelando uma coisa que ele falou na produção. Foi totalmente desnecessário para uma apresentadora como ela apelar por eles não terem discutido. O formato popular não precisa de discussões. Isso apenas reforça o estereótipo que a classe baixa que faço parte seja extremamente barraqueira e mau educada. E a Regina Volpato quebrou esse stigma, teve discussões no programa dela mas ela conduziu do caloroso para a maior calma do mundo. O que demonstrou que até a classe baixa não precisa de discussões para resolver seus problemas. Eu respeito sua crítica. Mas concluo que a Christina Rocha é ótima apresentadora, mas para conduzir convidados ela peca demais, e mesmo ela se identificando com o popular, ela tem que entender que popular não é sinônimo de baixaria, e expulsão de convidados. E ela precisa aprender a aceitar críticas. Pois isso é o pior defeito dela. E a Regina está acima dela nessa didática.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

'
Close